A Concordata de Salazar

A Concordata de Salazar Fechar

A Concordata de Salazar

A Concordata de Salazar

De: Rita Almeida de Carvalho

  • Actualmente estrelas
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
 
€ 19,90
 
Expedição prevista no prazo de 4 a 6 dias úteis
  • em Portugal. V. condições de entrega para envios internacionais. Sujeita a confirmação de disponibilidade na respectiva editora.
 
 

Sinopse

Ratificada a 8 de Maio de 1940, a Concordata entre Portugal e a Santa Sé não foi particularmente generosa na concessão de direitos especiais ou privilégios à Igreja Católica, sobretudo se confrontada com instrumentos coevos de igual natureza, como as concordatas assinadas por Mussolini, em 1929, e por Franco, em 1953. Estas diferenças relacionam-se, não com as convicções religiosas dos vários líderes políticos, mas com a maior ou menor importância que o reconhecimento por parte da Santa Sé tinha para a legitimação dos seus regimes. E, em 1940, a importância da Concordata para a legitimação do Estado Novo não era a mesma do que em 1933, altura em que Salazar propusera ao Vaticano subscrever um acordo, fazendo-o coincidir com a entrada em vigor da nova Constituição Política.

Mais do que um tratado sobre matérias como o casamento e o ensino - que iam sendo reguladas pelo direito interno -, a Concordata portuguesa foi um instrumento de propaganda do regime, sendo a sua assinatura alinhada propositadamente com a abertura da Exposição do Mundo Português. Nesta obra, com base em documentação inédita de vários arquivos, entre os quais o do Vaticano, descreve-se ao pormenor o processo negocial que culminou no texto concordatário e a discussão de cada uma das suas disposições. Conclui-se que esta foi, no essencial, a «Concordata de Salazar».

Na verdade, o Presidente do Conselho conseguiu, através de um hábil jogo diplomático, fazer valer as posições do Estado português face às pretensões da Santa Sé, facto tanto mais surpreendente quanto a Igreja e a religião católica sempre foram pilares essenciais da afirmação do regime salazarista. Apesar de ser a «Concordata de Salazar», vigoraria até 2004. Na sua longa vigência, 34 anos foram passados em regime autoritário e 30 anos em regime democrático. A leitura desta obra permitirá compreender os motivos de tão singular longevidade.
 

Ficha Técnica

  • Editora: Temas e Debates
  • Colecção:
  • Data de Publicação: 02-2013
  • Encadernação: Capa mole - 644 páginas
  • Idioma: Português
  • ISBN: 9789896442132
  • Dimensões do livro: 150 x 235 mm
  • Avaliação média dos leitores:
    • Actualmente 0 estrelas
    • 1
    • 2
    • 3
    • 4
    • 5
    (0 comentários dos leitores)
 
 

Comentários

Para comentar precisa de estar registado

Se encontrou conteúdo errado ou ofensivo nesta página envie-nos um e-mail.

CONHECER O AUTOR

Rita Almeida de Carvalho

Rita Almeida de Carvalho

Rita Almeida de Carvalho nasceu em Lisboa, em 1969. Licenciada, mestre e...
Saber mais »

LIVROS DO MESMO AUTOR

  1. A Assembleia Nacional A Assembleia Nacional no Pós-Guerra (1945-1949)   € 20,19  
Ver todos

LIVROS DA MESMA EDITORA

  1. Mulher Grande   € 15,00  
  2. livro História do Flirt   € 5,00  
Ver todos

TEMAS E MONTRAS RELACIONADOS

Partilhar por e-mail Fechar

 
 
 
 
Livro adicionado ao carrinho
De momento, este livro não está disponível para encomenda.